Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Maria das Palavras

A blogger menos in do pedaço, a destruir mitos urbanos desde 1986. Prazer.

25
Jan16

Parece-vos que o Dia dos Namorados vem longe?

Maria das Palavras

Desenganem-se! Está na hora de pensar, comprar (online) e/ou planear a execução. Deixo-vos com o novo artigo do Consultório de Prendas, onde faço sugestões de prendas para todos os feitios e carteiras para a data, mas não deixem de reler outros textos já publicados sobre o tema! Escolham o vosso tópico favorito e sigam. 

O que oferecer no Dia dos Namorados? - Consultório de Prendas

O que não fazer no Dia de S.Valentim - Maria das Palavras

4 Sugestões para  Dia dos Namorados - Maria das Palavras

Abaixo o Dia dos Namorados

 

Sigam-me no Instagram @maria_das_palavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

25
Jan16

Maria nos Karts

Maria das Palavras

Maria nos Karts - Maria das Palavras

 

Quando me convidaram para ir ao kartódromo por ocasião do aniversário daquele amigo, não pensei duas vezes: claro que sim! Nunca tinha andado de karts e sou menina dada a experimentar sensações novas. No entanto, à medida que a data e hora se foram aproximando, muito especialmente naquela meia hora anterior à corrida a olhar para outras pessoas na pista, o meu medo foi crescendo. 


Medo de morrer? Ter um acidente? Magoar-me? - perguntam vocês.

Medo de fazer figura de parva - respondo eu.

 

É que, pensado bem, a morte é inevitável, mas fazer figura de tola não. Pelo menos posso baixar o grau de probabilidade de o fazer. Em todo o caso já tinha dito que ia e considero que desistir também é fazer má figura, pelo que avancei. Convencida de que ao menos era uma experiência nova e que na pior das hipóteses faria o caminho todo a meio kilómetro à hora - paciência! -, já me tinha certificado que ninguém esperava mais de mim. Baixar as expetativas é chave em tudo na vida, digo-vos eu. 

O primeiro percalço foi, aliás, logo em casa quando o Moço sugeriu que calçasse ténis para ir ao kartódromo. O quê?! Vou ter de sair da minha zona de conforto e também do meu calçado de conforto? Nem pensar. Concordámos numas botas velhas, rasas, de atacador e juro-vos que logo ali me subiu um pouco a confiança (tinha experimentado antes as sapatilhas e já me estava a sentir uma criança de sete anos - já sei que sou uma esquisita).

Mas vamos ao kartódromo. O grupo de amigos nossos que correu antes teve de tudo: despistes, piões, amigas minhas que odiaram a experiência e foram sempre devagar a rezar que acabassem os 15 minutos. E eu pensei: pronto, está tudo visto, pior não hei-de fazer e se fizer igual não me envergonho. Lá segui o senhor que nos deu toucas de papel para esconder o cabelo antes de enfiarmos o capacete e gracejei "que bom! dá para andar de karts e fritar rissóis". Ninguém achou graça. Fi-lo prometer que alguém me acudiria se ficasse parada na relva (mal sabia eu). E vamos a isso, que se um par de canalizadores consegue, eu também (falo de Mário e Luigi, na Nintendo).

 

Maria nos Karts - Maria das Palavras

 

Assim que entrei no kart, e vi como aquela porra é tão chegada ao chão, comecei a fazer um check mental em "coisas que experimentei uma vez não-sei-como, mas se calhar já não repito". O senhor vai pondo os karts à minha frente a funcionar e eles vão arracando, com banda sonora de corta-relvas. Quando chega à vez do meu...o kart não pega. Pois é, arranquei devagarinho praí à quinta tentativa, o medo do kart se incendiar juntou-se ao medo de fazer figura de tola. O sacana do carrinho corta-relva falhou-me mais duas vezes! Ao longo do percurso, ainda na primeira volta, lá falhava e eu esperava pelo senhor que vinha a andar na pista e me ajustava qualquer coisa, voltava a dar à corda e eu arrancava novamente. Bonito! Assim é que os 15 minutos iam passar depressa - comigo encostada à box. 

Mas depois deixou de falhar. E eu fui ganhando confiança. Deixando de travar. Fazendo as curvas mais a abrir. Acelerando a fundo nas retas. E quando o tempo acabou, estava preparadíssima para recomeçar, agora a todo o gás, e fazer melhor que da primeira vez. 
Conclusão: recomendo vivamente. Como disse uma amiga que experimentou antes de mim: o segredo é perder o medo. E como podem ver nas fotos acima, tenho um estilo que arruma a um canto o próprio Fittipaldi.


Está decidido que repetirei a experiência. Resta-me só decidir agora que castigo aplicarei ao Moço por me ter ultrapassado quase no final da corrida...

Sigam-me no Instagram @maria_das_palavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

Seguir no SAPO

foto do autor

Passatempos

Ativos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O meu mai'novo

Escrevo pr'áqui







blogging.pt

Recomendado pela Zankyou

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

subscrever feeds